terça-feira, 30 de setembro de 2003

THE SHOW MUST GO ON

Não me digam que, logo na terra do showbiz, vão proibir o concerto!

''A FLORIDA-BASED rock band that has promised that an unidentified terminally ill person will suicide on stage, during an October concert, is fighting a legal battle to have the show go on.
Yesterday the St Petersburg City Council passed an emergency ordinance that makes suicide for commercial or entertainment purposes illegal, as a way of countering the rock band Hell on Earth's promise to show an onstage suicide during an October 4, 2003 concert in the city''. Mais aqui e aqui.

domingo, 28 de setembro de 2003

SONS


Créditos da Imagem

Madrugada, o som do Sérgio ilumina a noite...

"A Noite Passada"
A noite passada acordei com o teu beijo
descias o Douro e eu fui esperar-te ao Tejo
vinhas numa barca que não vi passar
corri pela margem até à beira do mar
até que te vi num castelo de areia
cantavas "sou gaivota e fui sereia"
ri-me de ti "então porque não voas?"
e então tu olhaste
depois sorriste
abriste a janela e voaste

(...)

Sérgio Godinho in "Pré-Histórias", 1972.

Versão integral da letra.

sábado, 27 de setembro de 2003

CIGARETTES



Katty, já viste os novos maços de tabaco? Dão para fazer colecção. Entretanto, aqui no cosmopolita AdC, fica a proposta para o International Marlboro.

sexta-feira, 26 de setembro de 2003

AVISO II

A todos os leitores. Podem usar com total liberdade os comentários neste blog, sejam eles elogiosos, críticos, de escárnio, de maldizer, sublimes, eruditos, ao estilo do blog do Pipi, sobre tudo e sobre nada.
Todavia há uma regra fundamental que terão sempre de cumprir: NUNCA CRITICARÃO O GLORIOSO SPORT LISBOA E BENFICA.
Esta regra é sagrada, principalmente para lagartos e tripeiros.

Muito obrigado.
A Gerência.
REQUIEM PELA ANTENA 2




Ao ouvir a Antena 2 invade-me uma sensação de perda. Tremo ao pensar na nova grelha de programas a lançar dia 1de Outubro (segundo o indicado no site).Tal programação certamente estará de acordo com as directrizes do iluminado ministro Morais Sarmento. Parece que todos se esquecem que além do assassinato da RTP 2 a criatura se prepara para cometer o mesmo crime sobre a Antena 2. Estando eu sem palavras nada melhor que citar o Crítico a propósito da classe a que o Sr. Sarmento pertence:
''...os mesmos pequeno burgueses que formam a maioria da classe política, que formam a classe empresarial. Analfabetos, incultos, egoístas, incapazes. Tudo pequeno, rural, tacanho, tragicamente fechado. Sem vistas, sem relatividade, odiento, rancoroso, velhaco, invejoso. Desdenhando do belo, desdenhando do sábio, escarnecendo do verdadeiro erudito, porque incapaz de erudição.''

Espero estar completamente errado sobre o futuro que preparam para a única rádio clássica de Portugal.

quinta-feira, 25 de setembro de 2003

PUBLICIDADE



Esperaste... esperaste... esperaste... esperaste... esperaste... esperaste... esperaste... esperaste... esperaste... e finalmente encontraste!!!
Quem são os cinco amigos da "Casa de Repouso de Freixo-de-Espada-à-Cinta" a quem vais contar? Já bateram todos a bota!

terça-feira, 23 de setembro de 2003

CAUDA DA EUROPA?

Onde está o relatório completo? Não mencionam Portugal mas suspeito que até nisto estamos na cauda da Europa

segunda-feira, 22 de setembro de 2003

DESLOCAÇÕES

Apetecia-me tanto ''bater'' no Santana Lopes a propósito da palhaçada do ''Dia Europeu Sem Carros'' mas, desta vez, escapou.

Já agora, Sr. Ilustre Desconhecido ministro do Ambiente, disse na SIC que por vezes andava de Metro. Sugiro que experimente um autocarro da Carris sem ar condicionado (a grande maioria) em hora de ponta, num dia de calor ou de chuva. Vai ver que excelentes transportes públicos existem em Portugal.
CIBERDÚVIDAS

Finalmente a equipa do Ciberdúvidas voltou de férias. Como faz falta este sítio a muito boa gente cá da blogoesfera (eu incluído, como é óbvio). Respondendo diariamente às infinitas dúvidas que a estranha língua portuguesa suscita, constitui um verdadeiro Serviço de Interesse Público.
Ainda que a prometida renovação gráfica tenha sido adiada, espero que o conteúdo se mantenha sempre num excelente nível.
Não sei porquê, tenho o pressentimento que depois da renovação do site, o SAPO (isto é a PT) se lembrará de tornar o acesso exclusivo aos seus clientes. Talvez esteja traumatizado com as ''Homepages'' e com o ''Tek''. Concretizar tal coisa seria espezinhar a obra e desprezar a memória de João Carreira Bom.

domingo, 21 de setembro de 2003

LAMENTO

Ai Benfica, Benfica...

sexta-feira, 19 de setembro de 2003

PECADO MORTAL



Nem sei porque este blog continua vivo, quanto mais navego na blogoesfera mais razões encontro para o achar inútil. Quando penso num assunto para um post, por mais inusitado que seja, acabo sempre por encontrar alguém abordando exactamente o mesmo tema. É impossível ser original na Blogolândia.

Ao ler o um post do Blog de Esquerda descubro o The Amazing Trout Blog, tem nome em inglês mas é produto nacional. Nele encontro um mundo de Música, fino humor e ironia. Aquele post sobre as "Quatro Últimas Canções" do Richard Strauss lembrou-me que estou farto do Verão, realmente ouvir esta obra no Outono é magia pura.

Agora compreendo porque a Inveja é um pecado mortal.

PS: Pelo memos o meu blog tem bom aspecto; é a velha dicotomia beleza/inteligência.
PS II: Acho que estou a abusar dos PS's.

quinta-feira, 18 de setembro de 2003

NOVOS BLOGS NA LISTA

Acrescentados novos blogs na lista do lado esquerdo. Quase todos são bastante conhecidos, todavia destaco o Alice no País dos Matraquilhos. Um blog realmente pessoal e em que a autora expõe o mais intimo de sí de uma forma autêntica (pena o problema na acentuação do título tão vulgar no Blogspot).

quarta-feira, 17 de setembro de 2003

BOMBA CHARLOTTE

Apesar do "post" sobre a Avenida de Roma (de que eu gosto por causa da "Barata" e da "Discoteca Roma") me evocar certas "tias" gosto muuuito de ler a Charlotte.

PS: Não, este ''post'' não é para dar graxa, quando muito seria devido à resposta rápida, simpática e educada ao meu email.
PS II : [Editado em 18/9/03] Hoje (dia 18) é o aniversário da Charlotte. Muitos parabéns e que blogues por muitos anos.
BLOGS NA TV

JPP agora no Contra-Informação a blogar atacando o Tortas...

terça-feira, 16 de setembro de 2003

LENDO BLOGS II

Xi ainda nem cheguei a meio da lista na letra A.
LENDO BLOGS

Só um 'cadinho que estou a percorrer a blogosfera para acrescentar links aqui ao lado esquerdo...
MANIAS MINHAS



Lá se vão os poucos visitantes do "Abaixo de Cão" até porque normalmente, ao ler um blog, tenho tendência a "saltar" os poemas. Sei também que um poema deste tamanho empurra tudo lá para baixo, mas não consigo resistir. É claro que não farei (nem sei) uma análise literária como a Charlotte. A única análise que sei fazer é a do coração.

Leio sempre o mestre Caeiro ao som da Quarta de Mahler, normalmente na interpretação de Bernestein, a orquestra do Concertgebouw e com um soprano infantil (capa da edição original do cd acima). A voz de criança combina na perfeição com o poema.
Desculpem lá, manias minhas...

"Num meio-dia de Primavera..."

Num meio-dia de Primavera
Tive um sonho como uma fotografia.
Vi Jesus Cristo descer à terra.
Veio pela encosta de um monte
Tornado outra vez menino,
A correr e a rolar-se pela erva
E a arrancar flores para as deitar fora
E a rir de modo a ouvir-se longe.

Tinha fugido do céu.
Era nosso demais para fingir
De segunda pessoa da Trindade.
No céu tudo era falso, tudo em desacordo
Com flores e árvores e pedras.
No céu tinha que estar sempre sério
E de vez em quando de se tornar outra vez homem
E subir para a cruz, e estar sempre a morrer
Com uma coroa toda à roda de espinhos
E os pés espetados por um prego com cabeça,
E até com um trapo à roda da cintura
Como os pretos nas ilustrações.
Nem sequer o deixavam ter pai e mãe
Como as outras crianças.
O seu pai era duas pessoas -
Um velho chamado José, que era carpinteiro,
E que não era pai dele;
E o outro pai era uma pomba estúpida,
A única pomba feia do mundo
Porque nem era do mundo nem era pomba.
E a sua mãe não tinha amado antes de o ter.
Não era mulher: era uma mala
Em que ele tinha vindo do céu.
E queriam que ele, que só nascera da mãe,
E que nunca tivera pai para amar com respeito,
Pregasse a bondade e a justiça!


Um dia que Deus estava a dormir
E o Espirito Santo andava a voar,
Ele foi à caixa dos milagres e roubou três.
Com o primeiro fez com que ninguém soubesse que ele tinha fugido.
Com o segundo criou-se eternamente humano e menino.
Com o terceiro criou um Cristo eternamente na cruz
E deixou-o pregado na cruz que há no céu
E serve de modelo às outras.
Depois fugiu para o sol
E desceu no primeiro raio que apanhou.
Hoje vive na minha aldeia comigo.
É uma criança bonita de riso e natural.
Limpa o nariz ao braço direito,
Chapinha nas poças de água,
Colhe as flores e gosta delas e esquece-as.
Atira pedras aos burros,
Rouba a fruta dos pomares
E foge a chorar e a gritar dos cães.
E, porque sabe que elas não gostam
E porque toda a gente acha graça,
Corre atrás das raparigas
Que vão em ranchos pelas estradas
Com as bilhas às cabeças
E levanta-lhes as saias.


A mim ensinou-me tudo.
Ensinou-me a olhar para as coisas.
Aponta-me todas as coisas que há nas flores.
Mostra-me como as pedras são engraçadas
Quando agente as tem na mão
E olha devagar para elas.


Diz-me muito mal de Deus.
Diz que ele é um velho estúpido e doente,
Sempre a escarrar para o chão
E a dizer indecências.
A Virgem Maria leva as tardes da eternidade a fazer meia.
E o Espirito Santo coça-se com o bico
E empoleira-se nas cadeiras e suja-as.
Tudo no céu é estúpido como a Igreja Católica.
Diz-me que Deus não percebe nada
Das coisas que criou -
"Se é que ele as criou, do que duvido." -
"Ele diz por exemplo, que os seres cantam a sua glória,
Mas os seres não cantam nada.
Se cantassem seriam cantores.
Os seres existem e mais nada,
E por isso se chamam seres."

E depois, cansado de dizer mal de Deus,
O Menino Jesus adormece nos meus braços
E eu levo-o ao colo para casa.

... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ...

Ele mora comigo na minha casa a meio do outeiro.
Ele é a Eterna Criança, o deus que faltava.
Ele é humano que é natural.
Ele é o divino que sorri e que brinca.
E por isso é que eu sei com toda a certeza
Que ele é o Menino Jesus verdadeiro.

E a criança tão humana que é divina
É a minha quotidiana vida de poeta,
E é por que ele anda sempre comigo que eu sou poeta sempre.
E que o meu mínimo olhar
Me enche de sensação,
E o mais pequeno som, seja do que for,
Parece falar comigo.


A Criança Nova que habita onde vivo
Dá-me uma mão a mim
E outra a tudo que existe
E assim vamos os três pelo caminho que houver,
Saltando e cantando e rindo
E gozando o nosso segredo comum
Que é saber por toda a parte
Que não há mistério no mundo
E que tudo vale a pena.

A Criança Eterna acompanha-me sempre.
A direcção do meu olhar é o seu dedo apontando.
O meu ouvido atento alegremente a todos os sons
São as cócegas que ele me faz, brincando, nas orelhas.

Damo-nos tão bem um com o outro
Na companhia de tudo
Que nunca pensamos um no outro,
Mas vivemos juntos e dois
Com um acordo íntimo
Como a mão direita e a esquerda.

Ao anoitecer brincamos às cinco pedrinhas
No degrau da porta de casa,
Graves como convém a um deus e a um poeta,
E como se cada pedra
Fosse todo o universo
E fosse por isso um grande perigo para ela
Deixá-la cair no chão.

Depois eu conto-lhe histórias das coisas só dos homens
E ele sorri porque tudo é incrível.
Ri dos reis e dos que não são reis,
E tem pena de ouvir falar das guerras,
E dos comércios, e dos navios
Que ficam fumo no ar dos altos mares.
Porque ele sabe que tudo isso falta àquela verdade
Que uma flor tem ao florescer
E que anda com a luz do Sol
A variar os montes e os vales
E a fazer doer aos olhos os muros caiados.

Depois ele adormece e eu deito-o.
Levo-o ao colo para dentro de casa
E deito-o, despindo lentamente
E como seguindo um ritual muito limpo
E todo materno até ele estar nu.

Ele dorme dentro da minha alma
E às vezes acorda de noite
E brinca com os meus sonhos.
Vira uns de pernas para o ar,
Põe uns em cima dos outros
E bate palmas sozinho
Sorrindo para o meu sono.
... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ...

Quando eu morrer, filhinho,
Seja eu a criança, o mais pequeno.
Pega-me tu ao colo
E leva-me para dentro da tua casa.
Despe o meu ser cansado e humano
E deita-me na tua cama.
E conta-me histórias, caso eu acorde,
Para eu tornar a adormecer.
E dá-me sonhos teus para eu brincar
Até que nasça qualquer dia
Que tu sabes qual é.

... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ...

Esta é a história do meu Menino Jesus.
Por que razão que se perceba
Não há-de ser ela mais verdadeira
Que tudo quanto os filósofos pensam
E tudo quanto as religiões ensinam ?

Alberto Caeiro [Fernando Pessoa]

segunda-feira, 15 de setembro de 2003

UFF!

Gostava de "postar" sobre assuntos mais elevados mas manter o ritmo do JPP é difícil (senão impossível).
PAÍS DAS MARAVILHAS



Pelos vistos ver televisão constitui uma inesgotável fonte para um blog (vejo pouca tv não por snobismo mas porque o vício da net ocupa quase todo o meu tempo livre).

No programa de ontem do Herman novos recordes de mau gosto foram atingidos. Não, não me refiro ao Fernando Rocha, ao ''Prof.'' Alexandrino, ao rapaz dos gases ou a outros que tais, pois sendo eu do Povo estou habituado a ver esta fauna. Falo de um espécimen bem mais raro (pelo menos aos meus olhos), um tal de José Castelo Branco (corrijam-me se o nome estiver mal). Pois foi o tal dito senhor falar da sua pessoa, da sua atitude positiva perante a vida (eu se tivesse avós, papás e tios assim também era muito positivo), do seu gosto pelas roupas (até sonha com Chanel!), de não perceber porque os portugueses se estão sempre a chorar (tenho uma bela conta de telefone a pagar, a renda, a luz, a água, o gás, o supermercado, alguns medicamentozitos e há pessoas mil vezes pior, mas que não se devem chorar, pois parece mal).

Perante a afirmação do Herman que não devemos ter vergonha de exibir os nossos bens, a nossa personagem muito orgulhosamente exibe algumas das suas caríssimas jóias. Fiquei absolutamente deslumbrado por haver alguém no meu país que nasceu numa familia cheia de recursos.É realmente edificante verificar que um indivíduo vai à televisão porque os seus ascendentes tiveram a esperteza de fazer uma fortuna. Eu, se um dia tivesse o talento de escrever uma obra-prima, também gostaria que os meus netos fossem considerados grandes escritores.

Mas adorei ver a cara de absoluto nojo aquando da ''actuação'' do Fernando Rocha. Para cúmulo, o companheiro do lado (do jet-set, não perguntem o nome que não leio a ''Caras'') queria rir mas não podia pois o ar reprovador do JCB não o permitia. Que pena ter saído a meio sem ouvir todas as edificantes anedotas!

Glossário
-» Fernando Rocha = fenómeno da moda, humor chão mas com tradição, depois do programa a solo = passado; cf. Fernando Pereira
-» Prof. Alexandrino = outro débil mental habilmente usado para entreter as massas; cf. Emplastro
-» JCB = boas famílias, extremo bom gosto; cf. Parasita social

PS: Já sei que as pessoas de bom nascimento, que por acaso leiam isto, dirão ''quem é este indivíduo que nem sabe escrever português para falar assim da 'beautiful people'?''. Bem, nestes tempos estranhos até o povinho tem direito aos blogs...
CINZAS II

Vejo o jornal da noite da Sic, há reacendimentos estranhos no incêndio de Monchique mesmo na hora da transmissão em directo. Seguem-se imagens do fogo repetidas ''ad nauseam''. Com uma cobertura televisiva tão pormenorizada, se eu fosse artista pirómano, estaria felicíssimo com a minha obra de arte.
Na RTP e na TVI a mesma coisa...

domingo, 14 de setembro de 2003

UM BÉBÉ MIMADO


(Créditos da imagem)

Ainda agora nasceu o ''Abaixo de Cão'' e já foi ''linkado'' pelo Assembleia . Sinceramente agradeço a distinção, embora aumente a minha responsabilidade como pai do recém-nascido.

A classificação na blogoesfera canhota, embora correcta, não implica que este seja um blog sobre política.

Apesar de ter começado sisudo espero que no futuro o humor seja a nota dominante, as crianças só riem meses depois de nascer.

PS: Bem sei que bebé só leva um acento mas bébé é mais bonito.

sábado, 13 de setembro de 2003

CINZAS



Abro a janela, no céu nuvens de cinza, no ar um cheiro acre a madeira queimada. Como estou relativamente perto da zona de incêndio penso que chegando a Lisboa nada se verá, engano, toda a atmosfera está carregada de um manto cinzento, o sol é um disco vermelho que mal consegue rasgar o nevoeiro; até nas estações do metro se respira este ar.

Talvez assim quem tem poder de decisão e que mora em Lisboa se lembre que o flagelo dos incêndios não atinge apenas as distantes florestas do interior.

Por outro lado interrogo-me sobre a utilidade da repetição de imagens de pessoas em absoluto desespero como ontem na SIC; a mesma imagem de uma senhora e o filho a fugirem de casa foi repetida vezes sem conta como se fosse o ''trailer'' de um filme de acção de Hollywood. Quem tiver um desequilíbrio e gostar de ver as chamas com todas as desgraças que elas causam, certamente vai querer contribuir para o espectáculo.

sexta-feira, 12 de setembro de 2003

CONSIDERAÇÕES SOBRE BLOGUES II


(Créditos da imagem)

Eu que detestava as redacções na escola, agora todos os dias faço pelo menos uma (ou tento fazer...).

quinta-feira, 11 de setembro de 2003

CONSIDERAÇÕES SOBRE BLOGUES

Blogar é como o slogan inventado pelo Pessoa para a Coca-Cola ''Primeiro estranha-se, depois entranha-se''.Por culpa de ti, Katty, lá vou escrevendo umas coisas para isto não ficar vazio, ainda por cima tenho de vigiar a linguagem (bem quando precisar que ela seja mais solta digo para não leres o post em questão).

Além disso, estas dúvidas gramaticais em que o português é fértil matam-me.Resta-me a consolação dos pontapés efectuados na blogosfera por muitos diplomados (perverção?!).
DATAS FATÍDICAS E OUTRAS COISAS QUE TAIS

Isto do 11 de Setembro, como tudo, originou muita polémica cá na blogosfera. Uns mais à direita acham que só o ataque terrorista de Nova York deve ser evocado; outros mais canhotos (como eu) dizem que o ignóbil golpe de Pinochet, perpetrado a 11 de setembro de 73, não deve ser mais um episódio esquecido da História.

Bem, que se evoquem ambos que eu vou ouvindo a Manon do Puccini com a Freni o Pavarotti e a orquesta do Met dirigida pelo Levine (na Antena 2 claro)
IRRITAÇÕES do QUOTIDIANO

Serei só eu que acha o celofane que embrulha vários produtos particularmente irritante? Cd's, dvd's, cassetes de vídeo, revistas, cereais e muitas outras coisas vêm normalmente embaladas numa película apertadíssima que se recusa a largar aquilo que eu quero abrir (tal lapa teimosa nos rochedos da praia). Será que tenho de ter um objecto afiado sempre à mão?!

Oiço alguém pensar ''e a fitinha de abertura fácil?'' ah ah essa é para rir.

terça-feira, 9 de setembro de 2003

BEM-VINDOS

Agora é que é. Vejamos quanto tempo este blog estará ''no ar''. Leitores só se forem os amigos pois sou um membro do povo anónimo e desconhecido; nem sequer curso universitário tenho (não se espantem é verdade!).
De qualquer modo cá vai disto; sejam bem-vindos.
Clique em "Mensagens antigas" para ler mais artigos fantásticos do Arquivo.

Temas

(so)risos (4) 100nada (1) 25 de Abril (5) 4º aniversário (1) 90's (2) actualidade (1) Ambiente (2) Aniversários (13) Ano Novo (4) Arquitectura (1) Arte (2) Astronomia (6) avacalhando (1) Blogosfera (78) boicote AdC (1) borlas (2) burla (1) cantarolando (1) cidadania (4) Ciência (6) Cinema (7) Cinema de Animação (2) classe (1) coisas (1) coisas da vida (5) Como disse? (1) Computadores e Internet (28) Contra a censura (1) contrariado mas voltei (1) corrosões (1) cultura (1) curiosidades (1) dass (1) de férias; mas mesmo assim não se livram de mim (2) Década Nova (1) Democracia (5) depois fica tudo escandalizado com as notas dos exames de português (1) Desporto (3) Dia do Trabalhador (1) Direito ao trabalho (1) ditadores de Esquerda ou de Direita não deixam de ser ditadores (1) é que eu amanhã tenho de ir trabalhar (1) eco (1) Economia (5) efemérides (2) eles andam aí (1) Elis (2) Em bom português se entendem 8 nações (2) em homenagem ao 25 de Abril (1) Em Pequim o Espírito Olímpico morreu (1) escárnio e maldizer (1) Escultura (3) espanta tédio (1) estado do mundo (1) Fado (1) Fernando Pessoa (1) festividades (3) Festividades de Dezembro (2) Filosofia (3) Fotografia (24) fotojornalismo (1) fuck 24 (1) fundamentalismos (1) futebol (1) Futuro hoje (1) ganância (3) gastronomia (1) Geografia (1) Grande Música (38) grátis (1) História (4) inCitações (13) injustiça (1) Internet (4) internet móvel (1) Internet: sítios de excelência (1) intervenção pública (3) inutilidades (7) Jazz (2) jornalismo (1) ladrões (1) Liberdade (7) liberdade de expressão (2) língua portuguesa (4) Lisboa (2) listas (1) Literatura (9) Livro do Desassossego (1) Má-língua (1) mentiras da treta (1) miséria (1) MPB (5) Mundo Cão (5) música afro-urbana (1) Músicas (13) não te cales (2) Navegador Opera (2) ninguém me passa cartão... (1) Noite (1) o lado negro (1) o nosso futuro (1) oportunismo (1) os fins nunca justificam os meios (1) paranoia (1) parvoíces (1) pessoal (8) Pintura (129) podem citar-me (3) Poesia (30) política (10) política internacional (2) porque são mesmo o melhor do mundo (2) Portugal (3) Portugal de Abril (4) preciosa privacidade (6) preguiça (1) Programas de navegação (1) quase nove séculos de crise (3) quotidiano (2) resistir (2) resmunguices (7) respeite sempre os direitos de autor (1) Seleção AdC - Internet (1) Selecção AdC - Internet (2) serviço público AdC (1) Sexo (1) so(r)risos (5) Solidariedade (3) Taxa Socas dos Bosques (1) Teatro (1) Tecnologia (1) televisão (1) temos de nos revoltar (1) Terceiro Mundo (20) The Fab Four (1) trauteando (1) Um aperto no coração (1) umbigo (8) UNICEF (1) vai tudo abaixo (2) vaidades (7) vampiros (1) Verdadeiramente Grandes Portugueses (4) vidas (1) vou ali e já venho (1) YouTube (3)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...